Text Widget
Interactively incentivize team driven markets and accurate meta-services. Progressively engage cutting-edge catalysts for change after efficient potentialities. Professionally generate extensive process improvements for process-centric niche markets. Dramatically initiate end-to-end niches whereas integrated best practices. Professionally envisioneer ethical results rather than team building synergy.
Recent Works
Recent Posts

Em algum lugar do passado Livros

Todo mundo em algum momento da vida, já foi assaltado pelo sentimento de querer voltar no tempo. Pode ter sido ante a alguma decisão errônea, por arrependimento ou até mesmo por mera nostalgia ou tristeza. Este tema Povoa a mente humana desde sempre e já foi tema de diversos livros e filmes de ficção científica.
Hoje terminei a leitura de “Em algum lugar do passado” de Richard Matheson, livro este que inspirou o filme homônimo que eu assistia quando criança na Sessão da Tarde.
image
É um dos clássicos no quesito viagem no tempo, onde Richard Collier é um jovem teatrólogo do século XX que se apaixona obsessivamente por uma fotografia de Elise McKenna, atriz de sucesso que viveu no século XIX, em Chicago. Richard fica tão encantado com a imagem de Elise que decide fazer uma pesquisa sobre a vida da artista, e descobre que eles têm muitas afinidades. Numa tentativa de se desligar do presente para viver essa paixão intensa, ele se submete a uma auto-hipnose que o transporta no tempo. O romance, apesar de fictício, é lindo, intenso e emocionante. O filme foi um dos únicos que conseguiram agradar aos fãs do livro por seguir a história à risca.
Obras assim, trazem à tona a velha reflexão sobre erros de um tempo distante.
O passado é um fantasma inquieto, muitas vezes não cumpre o seu papel de ficar para trás e de uma forma ou de outra sempre dá as caras assombrando-nos com o que poderia ter sido e não foi.
Como seria diferente se eu não tivesse tomado certas decisões, se percorrido caminhos diferentes, se não tivesse proferido certas palavras à alguém que não as merecia. Eu sei que já errei muito, que não devia ter feito muita das coisas que já fiz e que para cada erro se paga um preço.
Eu não sei quanto a vocês, mas em certos dias a nostalgia toma conta do meu coração. Tudo o que eu queria era a oportunidade de ir ao passado para modificar as minha atitudes.
Alguns momentos não voltam e por mais arrependidos que estejamos, não adianta chorar, se esforçar, porque não tem como viver aquilo de novo.image

E você, gostaria de voltar no tempo?


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *